< Voltar

Anac vai punir com multa os atrasos em voos durante a Copa

Ao longo da Copa, horários devem ser seguidos à risca pelas companhias. Além das multas, pilotos que descumprirem novas regras perderão carteira.

Envie a um amigo Curtir
Tweet

13/05/2014

Anac vai punir com multa os atrasos em voos durante a Copa

Jornal da Globo
Giovana Teles / William Waack


A Anac, a Agência Nacional de Aviação Civil, anunciou multas pesadíssimas para companhias aereas e donos de aviões que não cumprirem horários no período da Copa.

Com as multas, que poderão chegar a R$ 90 mil, as autoridades pretendem impor disciplina em um setor conhecido por falta de capacidade para atender a demanda por voos.

Duzentos mil horários de pousos e decolagens das companhias aéreas estão planejados para o período da Copa. Para a aviação executiva e geral, a fase de solicitação ainda está aberta.

Segundo a Anac (Agência Nacional de Aviação Civil), os horários terão de ser seguidos à risca. Quem não cumprir os horários, será punido com multas. “O que nós queremos com isso é incentivar que as empresas utilizem, de fato, os horários que foram planejados, para que o nosso planejamento dê certo”, afirma Marcelo Guaranys, presidente da Anac.

Para a empresa que tiver os horários de pouso e decolagem, os chamados “slots” autorizados e não usar, a multa varia de R$ 12 mil a R$ 30 mil. Se operar intencionalmente em horário diferente do autorizado, a multa aumenta: de R$ 24 mil a R$ 60 mil. E a punição maior é para quem decolar ou pousar sem os horários autorizados: de R$ 36 mil a R$ 90 mil. No caso da aviação executiva e geral, os donos também vão ser punidos nessas mesmas situações. As multas vão de R$ 7 mil a R$ 63 mil.

A Anac informou, também, que os pilotos da aviação executiva e geral que descumprirem as novas regras poderão ter a carteira suspensa por até seis meses.

Esse aperto na fiscalização vai começar uma semana antes da Copa, no dia 6 de junho. E será mais rigoroso nos 24 aeroportos que estarão mais diretamente ligados ao Mundial.

Depois da Copa do Mundo, as multas vão continuar. Além disso, as empresas poderão perder os horários de pouso e decolagem se os voos não tiverem regularidade e pontualidade de 80% em um período que será determinado pelos aeroportos.

E a Anac já decidiu: a partir de 15 minutos será considerado atraso.

Veja a reportagem do Jornal da Globo

DISPUTA POR PASSAGENS

Vai começar, em poucas horas, a corrida pelo ingresso mais cobiçado da Copa: o ingresso para pousar e decolar de aeroportos das cidades-sede.

As autoridades vão abrir na noite de terça (13) para quarta-feira (14) as inscrições para os aviões que não fazem parte da aviação comercial.

As movimentações por hora são os pousos e decolagens dos aviões no período de uma hora em cada um dos principais aeroportos do Rio e São Paulo. O aeroporto de Congonhas tinha até 64 movimentações por hora e, hoje, são 34, por causa do acidente de 2007.

Os outros aeroportos tem, mais ou menos, hoje, a mesma movimentação por hora que tinham há sete anos. Ou seja, quando o Brasil ficou sabendo que teria a Copa do Mundo dentro do país. É a mesma capacidade nesse tempo todo. E, desse número de movimentações, três ou quatro são dos aviões que não são comerciais.

Como exemplo, um jogo em Porto Alegre, no Aeroporto Internacional Salgado Filho, entre Nigéria e Argentina. 100 jatos são esperados e não são da aviação comercial. Quantos lugares há no pátio de Porto Alegre para esses aviões? 12. Não cabe. O que as autoridades vão fazer? Vão incentivar os pilotos a depositar os passageiros no aeroporto para decolar de volta à Argentina, pois não tem mais de uma hora e meia para permanecer no pátio.

Aliás, as fontes consultadas por William Waack, dizem que é muito normal, em Guarulhos, por exemplo, um avião ficar 30, 40 minutos por posição no pátio esperando. Não foram construídas pistas, não foram construídas taxi ways. Isso chama-se falta de planejamento. O nome disso é apagão de gestão.