< Voltar

GAMA publica normas para aeronaves de propulsão elétrica e híbrida

A associação de fabricantes de aeronaves criou um comitê especial para o novo segmento

Envie a um amigo Curtir
Tweet

16/02/2017

Airbus E-Fan 2.0
E-Fan 2.0, protótipo da Airbus com propulsão 100% elétrica.



A GAMA (General Aviation Manufacturers Association) – associação de fabricantes de aeronaves para aviação geral – publicou as primeiras normas para mensurar e avaliar o desempenho de aeronaves de propulsão híbrida ou elétrica. O órgão criou um comitê especial batizado de EPIC (Electric Propulsion Innovation Committee), que irá definir os padrões globais de medição do desempenho das aeronaves, incluindo reservas.

“Nós geralmente não padronizamos nenhum tipo de tecnologia até sentirmos que está se estabelecendo no mercado,” disse Greg Bowles, vice-presidente de políticas e inovação da GAMA. “Há muita atividade no desenvolvimento de aeronaves híbridas e elétricas. A indústria está realmente começando a dar atenção a esse segmento.”

Formado por 40 membros, o EPIC quer garantir que os fabricantes adotem os padrões determinados pelo comitê, semelhante ao que ocorre com os padrões de reservas NBAA IFR. O EPIC considera três cenários típicos: voos entre dois pontos, voos de treinamento e voos que envolvam decolagem e pouso no mesmo local. Para esses cenários, as normas requerem uma reserva de 30 minutos em energia. O comitê também incluiu normas específicas para aeronaves de asa rotativa e para a nova geração de aeronaves com capacidade de voo vertical. Nesses casos, as reservas têm mais ênfase na operação do que no tempo de voo.

Segundo Bowles, reguladores da FAA e EASA estiveram presentes em algumas discussões do EPIC, mas não estão envolvidos diretamente no desenvolvimento das normas.

Redação FlightMarket