< Voltar

Novo Sovereign chega ao mercado este ano

Aeronave terá alcance de 3.000 NM e velocidade máxima de cruzeiro de 848 km/h

Envie a um amigo Curtir
Tweet

03/07/2013

Novo Sovereign chega ao mercado este ano

Aeronave terá alcance de 3.000 NM e velocidade máxima de cruzeiro de 848 km/h

A Cessna anuncia que saiu esta semana da linha de produção, o primeiro Citation New Sovereign, na sua matriz em Wichita (EUA). Este é o primeiro modelo dos seis outros lançamentos de aeronaves novas da Cessna que chegarão ao mercado neste ano.

"Este lançamento realizado hoje prova o compromisso da Cessna em trazer novos produtos nesse ano, demonstrando o nosso forte investimento no futuro", afirma Kelly Reich, líder de negócios do New Sovereign. Essa aeronave foi apresentada durante a NBAA (National Business Aviation Association), em Orlando, há cinco meses. "Nós anunciamos o modelo no ano passado e agora já temos a aeronave em fase de conclusão. Esta é uma prova que a equipe de concepção e construção da Cessna é extremamente dedicada e que trabalha arduamente", diz Reich.

"Os brasileiros podem esperar um modelo que é capaz de percorrer de São Paulo a Punta Cana no Caribe, por exemplo, sem escala, com muito conforto e tecnologia. É um avião de sucesso comprovado pelo modelo inicial e que atende perfeitamente a necessidade dos executivos e de empresas brasileiras", destaca o diretor de vendas da TAM AE, Leonardo Fiuza.

O Citation New Sovereign terá um alcance de 3.000 NM (5.556 km), novos sistemas de climatização e de entretenimento na cabine, aviônicos Garmin G5000 com auto-throttle, além de winglets que permitem a subida direto para 45 mil pés, velocidade máxima de cruzeiro de 458 kts (848 km/h) e garantia de cinco anos. A certificação pelo FAA nos Estados Unidos está prevista para o terceiro trimestre desse ano.

Vale ressaltar que o Citation Sovereign está disponível no mercado desde 2004. O modelo tem como diferenciais: uma das maiores cabines da sua classe, configuração típica para nove passageiros, a flexibilidade de ter custo operacional baixo para deslocamentos de curta distância ao mesmo tempo que permite voos intercontinentais e a bem conhecida capacidade de operar em pistas curtas.



Fonte: Cessna

Autor: TAM aviação Executiva