< Voltar

Fretar ou comprar: qual é a melhor alternativa para quem usa aeronaves executivas?

A decisão deve levar em conta o investimento, tipo de operação e utilização da aeronave

Envie a um amigo Curtir
Tweet

06/07/2011

Fretar ou comprar: qual é a melhor alternativa para quem usa aeronaves executivas?

Uma dúvida ronda a cabeça de muitos executivos, até quando vale a pena fretar uma aeronave executiva? Quando devo partir para a compra de uma aeronave própria? A decisão não é simples e deve levar em conta, além dos custos diretos, outros fatores como investir num ativo, gerenciar a operação, etc.

De acordo com Cássio Polli, diretor da Aerie Aviação Executiva, "a análise comparativa deve levar em conta particularidades de uso, tipo de operação, base/domicílio do cliente, estudos financeiros e contabeis", mas o fretamento é mais recomendado para quem faz uma baixa utilização, 10 a 15 horas/mês.

Para ilustrar, Polli dá três exemplos. No primeiro, o empresário tem demanda para uma aeronave na categoria de Cessna Citation CJ3, que leva 6 passageiros, tem alcançe pouco acima de 3000 km e usa em média 10 horas por mês (+/- 7500 km). "Se optar por um Taxi Aéreo regular, recorrendo a uma empresa idônea, irá pagar aproximadamente R$ 16,00/km ou R$ 120.000,00/mês", explica. Mas, se o hipotético empresário, tiver sua própria aeronave, financiada, com parcela mensal de aproximadamente R$ 100.000,00/mês, somando-se os demas custos fixos e variáveis de R$ 60.000 o custo final mensal será de R$ 160.000,00. Ou seja, neste caso é melhor continuar usando os serviços de táxi aéreo.

Já para uma utilização média de 15 horas por mês (algo em torno de 11.000 km) o custo com fretamento seria de aproximadamente R$ 175.000,00, enquanto com seu próprio avião o custo mensal seria de R$ 177.000 (custos variáveis mais R$ 100.000 de leasing para a compra da aeronave). "Embora em termos de custo absoluto seria como trocar "seis por meia dúzia", como dizemos popularmente, mas já começa pesar na decisão a questão de possuir um ativo, controlar a operação, manutenção etc", afirma Polli.

Por outro lado, quando se entra numa utilização mensal acima de 20 horas/mês, já faz muito sentido encarar a aquisição como melhor opção a considerar. "Para um uso mensal de 25 horas num CJ3 (algo em torno de 18.500 km), o custo com taxi aéreo seria de aproximadamente R$ 296.000,00 enquanto com seu próprio avião o custo mensal seria de R$ 220.000,00 (sendo R$ 120.000 de despesas variáveis mais os R$ 100.000 de leasing)", disse Polli. Seria uma economia de R$ 76.000/mês ou R$ 913.000 por ano, quando comparado com fretamento.

Além da economia mensal, segundo Polli, ao considerar aquisição da sua própria aeronave, o empresário estará investindo num ativo para sua empresa, com controle total sobre a operação, tripulação e manutenção; flexibilidade de horários e destinos, isso sem falar na segurança pessoal.

"Outro ponto que tem favorecido a aquisição e pesado muito na decisão de compra é o momento vivido pela aviação executiva, com preços das aeronaves em baixa, ainda com reflexos da crise mundial, a economia brasileira aquecida, câmbio favorável (Real valorizado) e facilidade de crédito doméstico ou internacional."



Fonte: www.aviacaonoticias.com

Autor: Aerie Aviação Executiva